quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Série: Subterfúgios Corporativos

Vocês não fazem idéia do que me acontece dia sim, dia não no trabalho. É o encontro fantástico do espírito de porco com a vanguarda da futilidade. Eu já fiquei triste, questionadora, descrente, conformada, e agora chegou a hora de aplicar os meus parcos conhecimentos skinnerianos e me utilizar de reforços positivos e negativos para deixar bem claro que eu estou em paz e não desejo competir, e tampouco irei tolerar situações desnecessariamente desernegizantes...uf!

.

4 comentários:

Mirafuegos disse...

!Força na peruca, fia!

Arnoud disse...

Pois...

Tem gente que desapareu mesmo...

Quando houver jeito de nos vermos, entra em contato!

Abraços!

Rodrigo

Bons disse...

Poutz!Estas relações são mesmo complicadas. Tomara que vc consiga aplicar seus conhecimentos, entonces!
Fer, estou super enrolada com minha qualificação. Ela se aproxima e eu com poucas páginas escritas. Assim, não pensei a inda na nossa harmonização. mas ela vai rolar! Saudade. beijos

Sra. K. disse...

aff, negócio é que trabalhar é um saco, ou como diria o tal do Marx, nele (no trabalho...alienado) o homem não se afirma, mas nega-se nele, não se sente bem, ams infeliz, não desenvolve nenhuma energia física ou espiritual livre, mas mortifica sua physis e arruina seu espírito...viva o capitalismo!!!